O 4 de maio é o dia do Star Wars – e você não precisa ser oficialmente um nerd (como eu) para saber disso. Até a Margareth Tatcher sabe!  (é o que diz a wikipedia)  Explicando: 4 de maio é o Dia de Star Wars graças ao trocadilho em inglês com a forma como se lê a data “May the 4th be with you” – aproveitando essa data  tão especial eu gostaria de comentar uma cena que me impactou muito da última vez que assisti os filmes.

Continuar lendo

A revista Vida Simples e o Minimalismo

Contrariando minha decisão inicial, investi na compra da revista Vida Simples de fevereiro, dedicada ao Minimalismo. A revista apresentou uma boa matéria principal para apresentar o Minimalismo a alguém que nunca ouviu falar dele, mas com poucas novidades para nós que já introduzimos o conceito nas nossas vidas, embora mostre outros minimalistas com sua prática diária. O resto da revista está muito bom. Muitos conceitos ligados ao Minimalismo são explorados: a importância da excentricidade (o pensamento crítico, sem seguir modelos preestabelecidos que questiona a superficialidade das coisas); a importância de se autoquestionar e estar presente em si mesmo (mindfullness – atenção plena) para encontrar uma vida com mais sentido; a importância da nossa relação com a nossa alimentação; a humildade para enxergar com lucidez aquilo que somos, sem arrogância e comparações. Este texto revê as matérias da revista, seguindo a ordem da publicação e ressaltando os pontos principais pela minha ótica. Continuar lendo

Armário Cápsula Verão 2016

A experiência do Armário Cápsula de Primavera foi tão boa, que decidi incorporar a prática e montar um Armário Cápsula de Verão (AC Verão 2016). Continuar lendo

Suas coisas dão colo? O problema do valor afetivo

A maior dificuldade que temos para desapegar das coisas é o famoso “valor afetivo”. Quer dizer que nós olhamos para uma coisa sem vida e temos uma reação que é reconhecida como afetiva: uma lembrança de alguém que amamos, um momento bom que passamos e ainda estamos apegados a ele. Encontramos em alguns objetos alegria e conforto, algumas coisas nos dão colo; será mesmo?

No feriado fomos à Piracicaba.  É um passeio muito legal regado a peixe, linda arquitetura e ótima infra-estrutura que recomendo!

Atravessando a Ponte Estaiada, tentando desconectar dos meus pés doloridos e ouvir o barulho do rio eis que me deparo com a seguinte cena:

Continuar lendo

6 coisas que não aconteceram em 6 meses de Minimalismo

Em 1º de Julho de 2015 eu oficialmente me declarei minimalista. Neste período eu li muito, dei um curso, comecei este blog, conheci outros minimalistas, joguei no mínimo 465 coisas fora, montei 2 guardas-roupa cápsula (de primavera e de verão) e transformei alguns cantos da minha casa. Em 6 meses muitas coisas aconteceram, mas muitas coisas não; aqui vão 6 delas: Continuar lendo

A solução para os problemas de Natal ou Sr. Noel prefere gratidão.

Para mim, além do sentido de real do Natal (comemorar o nascimento de Jesus Cristo), o Natal é um tempo de estar em família. E como acontece no convívio familiar, aos poucos vão se formando e fortalecendo as tradições.

É tradição na minha família escrevermos uma carta para o Papai Noel. Não que acreditássemos em Papai Noel, pelo contrário, nós recebíamos presente de Natal que apareciam, não eram trazidos por ninguém, eles apareciam misteriosamente! O sapatinho também funcionava, aparecem coisas interessantes nos calçados lá em casa – tanto no Natal, como na Páscoa.

Fato é que nossas cartas evoluíram muito: não pedimos mais “um Playstation ou uma bola” (eu acho uma graça quando vejo isso nas cartinhas do Papai Noel dos Correios: recomendo!) e é esse tipo de carta (a evoluída) que eu sugiro que você e sua família escrevam.

Nós costumamos escrever uma carta de gratidão. Nela nós lembramos coisas boas que agradecemos e coisas ruins que superamos.

No final nós incluímos, sim, uma lista de coisas ou experiências que gostaríamos de ganhar, às vezes com o valor aproximado do presente, para possibilitar uma “vaquinha” no caso de algo mais caro, ou um link para ajudar na visualização (já que enviamos a carta por e-mail hoje em dia). Isso, além de evitar os problemas ligados ao desapego de peças presenteadas por alguém que você ama (mas que não são muito a sua praia) também economiza tempo, massa cinzenta, dinheiro e evita o consumismo para quem pretende presentear: ganha-ganha!

Comece com:

“Querido Papai Noel, neste ano eu não preciso de mais nada, afinal eu… (escreva aqui coisas boas e superações).”

Termine sua carta com:

“Em todo o caso, caso eu continue na lista dos bonzinhos e você deseje me presentear eu gostaria de: (coloque alguns itens para ajudar seus amados em suas escolhas).”

Lembre-se que a graça de “um Playstation ou uma bola” é o fato de que você ficará igualmente feliz em ter qualquer um destes desejos realizados, na verdade você ficará feliz de ganhar qualquer coisa, se ganhar alguma coisa!

Feliz mesmo você estará de compartilhar este momento com quem você ama! De entrar em contato com um amigo distante, de estar vivo!

Agora, pegue uma caneta e escreva uma carta de gratidão.

Guarda Roupa Cápsula de Primavera

Minha vida como Minimalista consiste de diferentes experimentos (ou projetos) realizados um após o outro por determinados períodos de tempo.

Com a chegada da primavera iniciei um novo projeto: o Guarda-Roupa Cápsula – GRC. Continuar lendo

Minimalismo e Negócios

Recentemente uma das participantes da Oficina de Minimalismo entrou em contato comigo. Ela faz parte do MTE da Unicamp e tem que apresentar um tópico que acredite levará ao crescimento pessoal/profissional e ela pensou no…Minimalismo!

Essa conexão me fez  lembrar dos meus tempos de Empresa Júnior (a ITEP Jr, da UFSM) e o sistema 5 S’s de Qualidade Total. Continuar lendo

Coisas que o dinheiro não compra

Neste feriado de 12 de outubro estive visitando minha família por ocasião da formatura do meu pai.

Dos deliciosos momentos em família em que convivemos, brindamos, comemos e conversamos gostaria de registrar 5 minutos que tive de felicidade, calma, presença e foco.

Passava da meia-noite do domingo e, embora oficialmente fosse primavera há duas semanas, o inverno insistia em pairar sobre o Rio Grande do Sul.

Continuar lendo

Oficina de Minimalismo

As postagens de ensaios no blog estiveram em suspenso nas últimas semanas devido à vida(!).

No dia 29 de setembro de 2015 nos encontramos eu e outras 13 pessoas interessadas em “molhar os pés” no Minimalismo. O encontro aconteceu via Projeto TOPE (Todos podem aprender, todos podem ensinar) na Unicamp.

O primeiro dia Continuar lendo